Novos peritos concluem curso de formação e começam a trabalhar

Fonte: A A A

Essa sexta-feira, 07 de julho de 2017, foi especial para os 115  novos peritos criminais da Polícia Técnico-Científica de Goiás. Nomeados no fim de maio, eles passaram por um curso de formação desde o último dia 12 de junho e hoje, finalmente,foram declarados aptos para o trabalho.

A formação inicial contou com aulas na sede da Polícia Científica e na Academia da Polícia Civil, em Goiânia, e incluiu aulas práticas e teóricas nas áreas de balística, documentos, perícias em áudio e imagem, perícias ambientais, de trânsito e de mortes violentas. Eles também conheceram o trabalho da Corregedoria e os trâmites do serviço público.

Os novos peritos tiveram a oportunidade de conhecer de perto todos os laboratórios da SPTC (Superintendência de Polícia Técnico-Científica) e  a equipe de gestores. No início da formação eles foram recepcionados pela Superintendente Rejane Barcelos e receberam orientações sobre o trabalho que vão realizar e a importância de observar as regras de funcionamento da instituição, que exige compromisso com o trabalho, assiduidade, pontualidade, produtividade e respeito entre os colegas.

Aulas aconteceram na sede da SPTC e na Academia da Polícia Civil, em Goiânia

Aulas aconteceram na sede da SPTC e na Academia da Polícia Civil, em Goiânia

No encerramento, o perito Ricardo Matos, da Divisão de Ensino da SPTC, informou aos presentes, que lotaram o auditório da sede, que eles não eram mais alunos da perícia criminal e sim, peritos criminais. Ele informou que a formação dada era inicial e que, dependendo da lotação, alguns teriam que permanecer em Goiânia por mais alguns meses, para aprofundar os conhecimentos.

Lotação

Encerrado o curso, era chegada a hora de saber a lotação, ou seja, a cidade de trabalho. A expectativa e a ansiedade eram enormes, mas a confiança era ainda maior. Marcos Silva Leles, deixou a carreira de bombeiro militar do Estado de Goiás para se tornar perito criminal e estava certo que começaria a viver um novo ciclo profissional, marcado pelo reconhecimento e especialização.

Novos peritos estão felizes em fazer parte da polícia científica de Goiás

André Lannes veio de Niterói, Rio de Janeiro, para Goiás, disposto a construir uma carreira consistente, “de grande valor agregado”.

Outro que também apostou na carreira de perito da polícia científica goiana foi o soteropolitano Gérson Teixeira. Ele veio de Salvador (BA), trazendo na bagagem o cargo conquistado, a esperança de um futuro profissional promissor e a vontade de contribuir para a valorização da categoria. “Ainda existe muita confusão entre polícia civil e científica. Espero, com o meu trabalho, contribuir para que a sociedade conheça e valorize nosso campo de atuação”.

Definidas as lotações, o clima nos corredores do 2º andar da sede da SPTC, em Goiânia, era de euforia. A maioria demonstrava satisfação com o futuro local de trabalho.

O quebra-cabeças da lotação consumiu horas e horas da Superintendente Rejane Barcelos, da perita e chefe da Divisão de Ensino – Gabriela Almeida e da Gerente do Núcleo de Anápolis – Renata Teixeira. Sempre atentas às necessidades da administração pública, elas conciliaram as preferências e as qualificações dos novos servidores  com as necessidades da SPTC, principalmente no interior.

Novos servidores vão atuar na capital e no interior

Novos servidores vão atuar na capital e no interior

 

De acordo com a Superintendente, com os novos peritos, a SPTC vai atender melhor as cidades de cada Núcleo e permitir aos servidores melhores condições de trabalho, com escalas menos desgastantes.

Fonte: A A A
Publicado por:


Compartilhe